Sarney afirma que não sofre pressão familiar para deixar presidência do Senado

No entanto, vários partidos demonstram interesse na saída do parlamentar do cargo; líder do governo no Congresso é contra

SÃO PAULO – Em mais um capítulo da “crise do Senado”, o presidente da casa, José Sarney (PMDB-AP), afirmou que não está sofrendo pressão de seus familiares para deixar o cargo na instituição. O assessor do parlamentar, Francisco Mendonça, informou que a possibilidade de Sarney deixar o cargo não está “sequer sob análise”.

As afirmações foram feitas nesta terça-feira (30) em resposta à pressão de vários partidos, que querem Sarney fora da presidência da Casa. Mesmo com os anúncios do PSDB, DEM, PDT e P-SOL a favor da saída do senador do cargo, Mendonça declarou que Sarney não está sofrendo pressões por parte de outros parlamentares e nem da sua própria família.

Apoio a Sarney

Enquanto uns querem ver Sarney fora da presidência do Senado Federal, outros são a favor da permanência do parlamentar no cargo. A líder do governo no Congresso Nacional, Ideli Salvatti (PT-SC), defendeu nesta data que o senador deve permanecer como presidente da Casa. Segundo Ideli, os últimos escândalos vistos no senado não são atuais e é necessário fazer uma “faxina” na Casa para esclarecer as denúncias e indicar os responsáveis.

PUBLICIDADE

“O que está vindo a público aqui no Senado é coisa de muito, muito, muito tempo. Não é nada recente, não é nada novo. É tudo muito antigo e tudo a muitas mãos, porque nada chega ao ponto em que está se não tiver a participação de muitos, de muitas, muitas mãos”, declarou.