Desembarque?

Saída do PSDB da base do governo não depende apenas do presidente do partido, afirma Doria

"É uma decisão que deve reunir as lideranças do partido e minimamente a executiva nacional", disse o prefeito de São Paulo

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Depois do presidente interino do PSDB, Tasso Jereissati, criticar Michel Temer e acenar para Rodrigo Maia ao afirmar que o presidente da Câmara reúne condições de dar “estabilidade” ao País, o prefeito de São Paulo, João Doria, afirmou que a decisão do partido seguir (ou não) apoiando o governo não depende apenas de Jereissati, mas sim de um consenso entre os tucanos.

“Entendo que o PSDB, para tomar uma medida, deve construir isso dentro de uma reunião. Não creio que apenas o presidente, ainda que com todo o respeito que devemos ao senador Tasso Jereissati, possa tomar individualmente uma decisão dessa natureza. É uma decisão que deve reunir as lideranças do partido e minimamente a executiva nacional e, aí sim, tomar uma decisão”, afirmou o prefeito de São Paulo.

Doria admitiu aos jornalistas que a crise política aumentou e que a situação do governo piorou nas últimas semanas, mas os partidários precisam “ter cuidado e atenção na tomada de suas decisões”, uma indireta para o presidente interino do partido. Na quinta-feira (6), Jereissati afirmou que o governo “caminha para a ingovernabilidade” e que Maia tem condições de “juntar os partidos com o mínimo de estabilidade ao País”, postura bem diferente do ministro Aloysio Nunes, que defendeu Temer e pediu para que os parlamentares da base votem para derrubar a denúncia.

Aprenda a investir na bolsa