Análise

Saída de ministros expõe fragilidade de Temer, diz Verisk Maplecroft

Escândalos políticos recorrentes vão prejudicar esforços de Temer em restaurar a confiança pública e do mercado ao ampliar as preocupações sobre a habilidade do governo de superar o impasse político

Aprenda a investir na bolsa

(Bloomberg) — Onda de renúncias no governo de Michel Temer é testamento da influência política sem precedentes da investigação da Lava Jato, segundo Jimena Blanco, chefe para América Latina da Verisk Maplecroft, em comentários em relatório. Veja outros comentários:

  • Perda de 2 ministros em 18 dias à frente do Executivo evidencia a fragilidade da administração Temer, que depende da troca de gabinete para garantir apoio de seus aliados no Congresso
  • Mais da metade de todos os membros de cada casa do Congresso está sob investigação em conexão com acusações de corrupção, incluindo as que estão na Lava Jato
  • Isso significa que a rede de potenciais ministeriáveis sem registros que os maculem está severamente limitada
  • Outros seis ministros estão investigados pela Lava Jato e é altamente provável que mais vazamentos ou desdobramentos da investigação resultem em demissões
  • Escândalos políticos recorrentes vão prejudicar esforços de Temer em restaurar a confiança pública e do mercado ao ampliar as preocupações sobre a habilidade do governo de superar o impasse político que paralisa as decisões há mais de 2 anos
  • Lidar com luta interna dentro do PMDB e um suporte instável na base do Congresso pode ser extremamente prejudicial para Temer
  • NOTA: Temer formaliza saída de Silveira e mudanças no BB e Incra

Esta matéria foi publicada em tempo realapara assinantes do serviço BloombergaProfessional.