Ações

Saiba como a Embraer pode se beneficiar com o caça sueco comprado pelo Brasil

Gripen NG será produzido pela fabricante sueca Saab, que ganhou a concorrência da americana Boeing e da francesa Dassaul

SÃO PAULO – Após quase 20 anos de negociações, o governo brasileiro finalmente escolheu qual modelo de aviões de combate será adquirido pela FAB (Força Aérea Brasileira) para o programa de compra e transferência de tecnologia FX-2: o Gripen NG, da Saab. A montadora sueca ganhou o processo de concorrência da americana Boeing e da francesa Dassaul, com uma proposta que não só agradou ao governo como também aos investidores da própria Saab e da Embraer (EMBR3).

O Brasil vai desembolsar US$ 4,5 bilhões por 36 caças, com o pagamento tendo tendo início apenas a partir da entrega das aeronaves, perdurando até 2023. O comandante da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito, disse que os primeiros aviões estão previstos para chegar ao final de 2018, sendo entregues 12 unidades por ano.

Segundo o governo, a alegação para a vitória dos suecos é de que a concorrente francesa trouxe preços muito altos para as aeronaves, ao passo que as relações com os EUA ficaram estremecidas após as notícias de que o país estaria espionando o Brasil, o que prejudicou o andamento das tratativas. Vale lembrar que o Brasil chegou a anunciar a compra dos jatos franceses em 2009, porém o governo voltou atrás logo depois. Além disso, o presidente francês François Hollande chegou a conversar com Dilma na semana passada durante sua visita ao Brasil.

PUBLICIDADE

Bom para a Embraer
Além da compra, o comandante da aeronáutica confirmou que 80% da fabricação acontecerá aqui no Brasil. Todo o processo será feito pela Saab, fabricante do Gripen, e pela Embraer. Com isso, a empresa brasileira pode se beneficiar nessa transação ao garantir o “know how” sueco, devido à troca de tecnologia e informações com os montadores da Saab.

Iniciado em 1998 no governo Fernando Henrique Cardoso, o projeto FX previa a compra de 12 supersônicos com a transferência de tecnologia do fabricante para a FAB, que culminaria em um total de 120 unidades fabricadas no Brasil. Após interrupção do programa, ele foi retomado em 2008 no governo de Luiz Inácio Lula da Silva com o nome FX-2, com custos estimados de até US$ 6,5 bilhões.

Conheça o Gripen NG, o modelo de caça que o Brasil comprará para a FAB: