Sebastianismo brasileiro

Rumores (negados) sobre volta de câncer de Lula diz muito sobre o Brasil e o PT, diz FT

Blog do jornal britânico destaca que há algo um pouco obsessivo em relação ao ex-presidente, de que ele voltaria para que o Brasil voltasse a ser "grande", assim como destaca a falta de liderança dentro do PT

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A presidente Dilma Rousseff está no seu segundo mandato, mas isso não impediu que os brasileiros continuem “obcecados” sobre o seu antecessor popular, Luiz Inácio Lula da Silva. Esta é a análise do blog do Financial Times, Beyond Brics, destacando uma matéria desta semana da Folha de S. Paulo que gerou temores e indignação dos petistas.

O blog destaca que, no fim de semana, a Folha publicou uma coluna com uma suposta revelação de que Lula tem lutado contra câncer de pâncreas desde o início de 2014, o que foi negado veemente pelo Instituto Lula.

O blog ressalta que os simpatizantes do PT ficaram enfurecidos com os boatos, acusando a oposição de espalhar rumores para enfraquecer o partido. Porém, enquanto o rumor pode de fato ser falso, a frequência com que surgem estas conversas nos meios de comunicação no Brasil acabam falando por si.

PUBLICIDADE

Afinal, ressalta o blog, Dilma também foi atingida pela doença – um linfoma no caso dela – em 2009 e ainda alguns especulam sobre se seu câncer voltou ou não.

“Por um lado, há algo distintamente brasileiro, ou melhor lusófono, sobre a obsessão nacional com Lula. O ex-presidente governou em um período de impressionante boom econômico do Brasil e da chegada do País no cenário mundial com a sua nomeação como sede da Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. Embora seja natural que anseiem por esses ‘bons velhos tempos’, isto é especialmente verdade no Brasil, onde ‘saudade’ é considerado um traço nacional – uma contradição curiosa tendo em vista o foco dos brasileiros para o presente”, afirma o blog.

Ele ressalta que isso segue a característica de sebastianismo em Portugal – a crença de que o Rei D. Sebastião, que desapareceu em batalha no século XVI, de alguma forma voltará um dia para cumprir o grande destino de Portugal.

Da mesma forma, pode-se dizer que muitos brasileiros esperam o retorno de Lula – o seu próprio Rei D. Sebastião – para “salvar” o Brasil e tornar o “País grande novamente”.

O blog do FT também ressalta que, por outro lado, a fixação nacional por Lula também diz algo sobre a falta de uma nova liderança convincente dentro do PT, para não mencionar o fracasso de Dilma para conquistar os brasileiros por seus próprios méritos, durante os últimos quatro anos. A coluna da Folha menciona o ministro da Casa Civil Aloizio Mercadante como um possível substituto para 2018.

“Enquanto Lula pode muito bem acabar concorrendo à presidência em 2018, a polêmica sobre os rumores recentes mostra que o PT, pelo menos, tem de começar a trabalhar em uma melhor Plano B”, conclui o blog do jornal britânico.