Conta polêmica

Romário diz que extrato de conta em banco é falso; Veja reconhece erro e pede desculpas

Na nota enviada ao senador, o banco informa ter solicitado uma apuração do Ministério Público de Genebra sobre o fato, que classifica como “grave delito penal”

arrow_forwardMais sobre

Ontem, o senador Romário Faria (PSB-RJ) informou em Plenário, ter recebido do banco suíço BSI uma nota que confirma ser falso um extrato publicado recentemente pela revista Veja. De acordo com a reportagem, o senador teria uma conta bancária na instituição com saldo de R$ 7,5 milhões.

Na nota enviada ao senador, o banco informa ter solicitado uma apuração do Ministério Público de Genebra sobre o fato, que classifica como “grave delito penal”. A resposta veio após uma viagem do senador à Suíça, custeada com os próprios recursos, para apurar a existência da suposta conta em seu nome.

Romário disse, ainda, que o Ministério Público brasileiro, também informou não haver investigação sobre a suposta conta em seu nome, o que, segundo ele, desmentiria novamente a revista. Para ele, os métodos de reportagem da Veja são questionáveis e podem causar danos irreversíveis a pessoas inocentes.

PUBLICIDADE

“Eu sou uma pessoa pública e, graças a Deus, tenho os recursos para me defender, mas muita gente não tem. Esse tipo de irresponsabilidade não pode passar em branco “, disse Romário.

Por esse motivo, o senador informou que entrará com processo na Justiça com pedido de indenização por danos morais à revista e aos repórteres que escreveram a matéria. O valor pedido pelo senador será de dez vezes o que a reportagem alegou que ele possuía no banco suíço.

Romário disse acreditar que o jornalismo, quando exercido com responsabilidade, é um dos mais importantes pilares da democracia. Para ele, a revista não muda suas práticas mesmo sofrendo vários processos e o objetivo, desta vez, seria intimidá-lo.

Em nota, a revista Veja reconheceu o erro e pediu desculpas ao ex-jogador. “O extrato em questão foi publicado há duas semanas por Veja como prova de que Romário era titular de uma conta bancária na Suíça com saldo equivalente a 7,5 milhões de reais. O comunicado do BSI não deixa dúvida sobre as adulterações no documento e pede às autoridades que investiguem a autoria da falsificação”, afirmou a revista.

A revista afirmou que, por ter publicado um documento falso como sendo verdadeiro, “pede desculpas ao senador Romário e aos seus leitores. Esse pedido de desculpas não veio antes porque até a tarde desta quarta-feira ainda pairavam perguntas sem respostas sobre a real natureza do extrato, de cuja genuinidade Veja não tinha razões para suspeitar. A nota do BSI dissipou todas as questões a respeito do extrato. Ele é falso”, afirmou a revista.

Segundo ela, a investigação desse episódio, no entanto, continuará sendo feita pela revista. “Estamos revisando passo a passo o processo que, sem nenhuma má fé, resultou na publicação do extrato falso nas páginas da revista, evento singular que nos entristece e está merecendo toda atenção e cuidado para que nunca mais se repita”.

PUBLICIDADE

(Com Agência Senado)