Aliados?

Rodrigo Maia questiona Temer e dá ultimato para aprovação da reforma da Previdência

Governo terá que correr para enviar o novo texto na próxima semana

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – É agora ou nunca. Irritado com Temer após ter assinado MP (Medida Provisória) alterando pontos importantes da reforma trabalhista na última terça-feira (14), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, deu um ultimato ao presidente: ou o governo envia o novo texto da reforma da Previdência na próxima semana, ou não haverá chance nenhuma de votação neste ano, segundo detalha a colunista Vera Magalhães, do jornal O Estado de S. Paulo.

Cumprindo uma promessa feita em julho aos senadores governistas, Temer editou uma MP para fazer ajustes na nova legislação trabalhista, que entrou em vigor no último sábado (11). Porém, Maia defendia o envio de um Projeto de Lei, para que as mudanças fossem discutidas pelas duas casas e, assim, sancionadas pelo presidente: “óbvio que vou pautar o acordo que o presidente fez com o Senado, mas não acho justo. Encaminhá-la enfraquece a lei que foi sancionada”, disse Maia.

Ainda no campo das críticas, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Maia questionou a tentativa do governo em transferir a responsabilidade pela aprovação da reforma da Previdência para o Congresso: “empurrar a responsabilidade não ajuda. Tenho grande clareza de que a matéria precisa ser votada o mais rápido possível”, afirmou o presidente da Câmara.

Aprenda a investir na bolsa

“Não é só um ministério ou uma emenda que vai nos dar a clareza da importância da votação. Acho que tem mais de 300 deputados que têm certeza de que vai ter que votar a Previdência. Só que muitos têm dúvida do impacto que a Previdência vai ter na sua base eleitoral. Por isso a comunicação é tão importante”, alertou.