Política

Rodrigo Maia é eleito presidente da Câmara dos Deputados pela terceira vez, com 334 votos

Nesta sexta, os 513 parlamentares eleitos em outubro de 2018 tomaram posse para o exercício do mandato

SÃO PAULO – Pela terceira vez consecutiva, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) foi eleito, nesta sexta-feira (1), presidente da Câmara dos Deputados, em primeiro turno, com 334 votos. O resultado confirmou o favoritismo do parlamentar, que contava com o apoio de 15 siglas: PSL, PP, PSD, MDB, PR, PRB, DEM, PSDB, PTB, PSC e PMN.

Maia derrotou outros seis candidatos que concorreram como avulsos: Fábio Ramalho (MDB-MG), que teve 66 votos; Marcelo Freixo (Psol-RJ), com 50 votos; JHC (PSB-AL), com 30 votos; Marcel Van Hattem (Novo-RS), com 23 votos; Ricardo Barros (PP-PR), com 4 votos; e General Peternelli (PSL-SP), com 2 votos.

Após tomar posse, o deputado encerrou a apuração dos votos para os demais cargos da Mesa Diretora no biênio 2019-2020.

PUBLICIDADE

Para a 1ª Vice-Presidência, foi eleito o deputado Marcos Pereira (PRB-SP), com 398 votos. Na 2ª Vice-Presidência, Luciano Bivar (PSL-PE) foi eleito no segundo turno.

A 1ª Secretaria ficará com a deputada Soraya Santos (PR-RJ), que teve 315 votos. Ela concorreu como candidata avulsa. O deputado Giacobo (PR-PR), candidato oficial do bloco, recebeu 183 votos.

O deputado Mário Heringer (PDT-MG) ficará à frente da 2ª Secretaria, ao conseguir 408 votos. À 3ª Secretaria, foi conduzido o deputado Fábio Faria (PSD-RN), com 416 votos. Na 4ª Secretaria, ficará o deputado André Fufuca (PP-MA), com 408 votos.

Os candidatos à suplência são, conforme o número de votos recebidos: Rafael Motta (PSB-RN) para a 1ª suplência com 368 votos; Geovania de Sá (PSDB-SC) para a 2ª suplência, com 366 votos; Isnaldo Bulhões Jr. (MDB-AL) para a 3ª suplência, com 315 votos; e o deputado Assis Carvalho (PT-PI) para a 4ª suplência, com 283 votos.

Modernização

Maia assumiu a cadeira emocionado. Em lágrimas, agradeceu os votos dos deputados e aos competidores na disputa à Presidência da Câmara.

“Nós teremos muitos desafios. A Câmara precisa de modernização na relação com a sociedade, nos nossos instrumentos de trabalho, para que a gente possa ficar mais perto dos cidadãos. Precisamos modernizar as nossas leis, simplificá-las, e fazer as reformas de maneira pactuada”, disse.

PUBLICIDADE

Maia afirmou que, apesar de ter disputado o cargo por três vezes, sempre se emocionou na disputa. “Cresci nesta Casa, convivendo com todos os partidos”, declarou.

Perfil

Atualmente no sexto mandato como deputado federal, Maia já foi líder do partido; ocupou cargos em comissões, como a presidência da Comissão Especial da Desvinculação de Receitas da União (DRU); e foi relator de diversos projetos na Casa, como o da proposta da reforma política em 2015. Nascido em 1970, ele já foi secretário de governo na prefeitura do Rio de Janeiro.

A primeira vez que ocupou o cargo de presidente da Câmara foi em 2016, quando foi eleito para um “mandato tampão” de seis meses, em substituição ao ex-deputado Eduardo Cunha, que havia sido eleito para o biênio 2015-2016. Cunha foi afastado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), renunciou ao cargo e depois foi cassado pela Câmara. Em fevereiro de 2017, Maia se elegeu para um mandato de dois anos.

Nova Câmara

O dia também marcou a posse de todos os 513 deputados federais eleitos para a próxima legislatura. A nova composição da Câmara dos Deputados trouxe a maior taxa de renovação desde a eleição da Assembleia Constituinte, em 1986: 47,37%, segundo cálculo feito pela Secretaria-Geral da Mesa. Ao todo, são 243 novos rostos escolhidos pela população nas eleições de outubro do ano passado. 

(com Agência Câmara)

Invista melhor seu dinheiro: abra uma conta de investimentos na XP.