Presidente da Câmara

Rodrigo Maia apoia Renan e diz que decisão de juiz foi equivocada

“Houve uma decisão equivocada de um juiz de primeira instância. A decisão deveria ter partido do Supremo Tribunal Federal", afirmou presidente da Câmara

O presidente da Câmara Rodrigo Maia defendeu nesta terça-feira (25) a harmonia entre os três Poderes – Executivo, Legislativo e Judiciário –, a fim de contribuir para que o Brasil supere a atual crise.

Após reunião com o presidente do Senado, Renan Calheiros, Maia voltou a questionar a operação da Polícia Federal realizada na última sexta-feira (21) que cumpriu mandados de prisão de quatro policiais legislativos, além de busca e apreensão de documentos no Senado.

“Houve uma decisão equivocada de um juiz de primeira instância. A decisão deveria ter partido do Supremo Tribunal Federal. Foi uma operação duvidosa. Hoje é Senado, amanhã pode ser a Presidência da República”, afirmou.

PUBLICIDADE

Na segunda-feira (24), Calheiros criticou decisão do juiz federal Vallisney Souza Oliveira, que autorizou a operação policial no Senado. Nesta terça-feira (25), a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, rebateu as declarações do presidente do Senado e exigiu respeito ao Judiciário.

Competência
Para Rodrigo Maia, a decisão de Calheiros em ingressar com Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) no Supremo, para que sejam definidas claramente as competências de cada Poder, está correta, por restabelecer a harmonia entre os Poderes.

“Cada um está defendendo a sua instituição. A ministra Cármen Lúcia defendeu a independência do Judiciário. Renan Calheiros defendeu a independência do Legislativo. Agora cabe garantir a harmonia entre os Poderes, pois só essa harmonia pode tirar o Brasil da crise”, afirmou.