Operação Lava Jato

Rodrigo Janot pede ao STF prisão de Renan, Sarney, Jucá e Cunha, dizem jornais

Segundo o jornal, os pedidos se baseiam em indícios de que eles agiram para barrar a Lava Jato; pedidos estão com Teori há pelo menos uma semana

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao STF a prisão do presidente do Senado, Renan Calheiros, do ex-presidente da República José Sarney e do senador Romero Jucá, diz O Globo, citando um interlocutor de ministros do STF. Além deles, o procurador-geral da República também pediu a prisão do presidente afastado da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, segundo informa a G1. 

 Segundo o jornal, os pedidos se baseiam em indícios de que Renan, Sarney e Jucá agiram para tentar barrar a Operação Lava Jato, que afirma que os pedidos de prisão estão com ministro do STF Teori Zavascki há pelo menos uma semana. De acordo com a Folha de S. Paulo, que também confirmou a informação, no caso de Sarney, o pedido é de prisão domiciliar, com o uso de tornozeleira eletrônica.

Janot também pediu o afastamento de Renan da presidência do Senado, usando argumentos similares aos empregados no pedido de destituição de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara e do mandato de deputado federal, o que acabou sendo atendido pelo STF.

Aprenda a investir na bolsa

De acordo com a fonte ouvida pelo jornal O Globo, não há dúvida de que, se a trama não fosse documentada pelas gravações de Sérgio Machado, a legislação seria modificada de acordo com o interesse dos investigados. Renan, Jucá e Sarney estão entre os políticos mais influentes do Congresso enquanto Sarney, mesmo sem mandato, controla bancadas na Câmara e no Senado. O ex-presidente teria tido, inclusive, papel decisivo no processo de afastamento da presidente Dilma Rousseff. Os indícios de conspiração são considerados por investigadores mais graves que as provas que levaram Delcídio Amaral à prisão, em novembro do ano passado, e à perda do mandato, em maio. Isso porque, enquanto Delcídio tentou manipular uma delação, a do ex-diretor de Internacional da Petrobras Nestor Cerveró, os peemedebistas planejavam derrubar a Lava Jato.