Tensão política

Resultado da eleição na Turquia não tem impacto sobre notas de crédito, diz S&P

Pela primeira vez em 13 anos, o partido governista turco, conhecido pela sigla AKP, perdeu a maioria no Parlamento, com a conquista de cerca de 41% dos votos

arrow_forwardMais sobre

A agência de classificação de risco Standard & Poor’s disse hoje que o resultado da eleição geral da Turquia, realizada no fim de semana, não tem impacto imediato nas notas de crédito do país, atualmente em BB+ e BBB- em moedas estrangeira e local, respectivamente, ambas com perspectiva negativa.

Pela primeira vez em 13 anos, o partido governista turco, conhecido pela sigla AKP, perdeu a maioria no Parlamento, com a conquista de cerca de 41% dos votos.

Segundo a S&P, a implementação dos últimos objetivos declarados do governo turco, que incluem reformas estruturais detalhadas em seu plano de desenvolvimento, dependerá das futuras nomeações a cargos-chave e se o AKP escolherá formar uma coalizão ou governar sozinho.

PUBLICIDADE

O plano tem como meta elevar a taxa de poupança da Turquia, reduzir a conta da energia importada, impulsionar a baixa participação das mulheres no mercado de trabalho e reduzir o tamanho da significativa economia informal do país.

“Acreditamos que isso pode ajudar a Turquia a se afastar do atual modelo econômico, que continua muito dependente do financiamento da dívida líquida no exterior”, comentou a S&P. “Continuamos prevendo fraco desempenho do PIB (Produto Interno Bruto) na Turquia em relação aos padrões históricos anteriores, uma vez que as condições de crédito se estreitaram e a confiança das empresas continua fraca”, acrescentou a agência.

A S&P justificou também que a perspectiva negativa das notas da Turquia reflete os riscos fiscais ligados ao crescimento econômico incerto, em meio ao elevado endividamento líquido, mas reiterou que poderá revisá-la para estável se a expansão continuar a se reequilibrar e reduzir sua forte dependência de crédito externo.