Política

Renan quer instalar comissão especial do impeachment na próxima semana

Com a leitura do processo ocorrendo nesta terça, expectativa é que votação do afastamento de Dilma ocorre entre os dias 11 e 12 de maio

SÃO PAULO – Após receber o processo do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), indicou nesta segunda-feira (18) que pretende instalar a comissão especial do impeachment da presidente Dilma Rousseff na semana que vem. As projeções são de que a comissão deve ser anunciada na segunda-feira (25), com a votação ocorrendo no dia 11 de maio.

A estratégia é fazer a leitura do processo na sessão deliberativa do plenário de amanhã e abrir o prazo de 48 horas para a indicação dos partidos dos nomes que irão compor a comissão até sexta, já que quinta é feriado. Com isso, a instalação da comissão deve ocorrer apenas na segunda-feira.

“Amanhã [terça] vamos conversar sobre a indicação dos nomes das bancadas e os líderes partidários certamente precisarão de 48 horas para que possam definir o que vai acontecer com a eleição de presidente e relator”, disse Renan. “Vou pedir aos líderes a presteza e a celeridade na indicação dos nomes, mas não podemos obrigar que eles façam isso em menos de 48 horas”, afirmou.

PUBLICIDADE

Após conversa com Renan, o senador Cassio Cunha Lima, líder do PSDB no Senado, afirmou que a comissão terá 10 dias para apresentar o relatório de impeachment na Casa e que a votação do afastamento da presidente deve ocorrer entre os dias 11 e 12 de maior. Além disso, o partido sugeriu o nome de Antonio Anastasia para presidir comissão especial.