Renan Calheiros poderá votar na sessão que definirá seu futuro na política

Senador pode ficar inelegível por doze anos, quatro que ainda restam do atual mandato e oito como manda a Constituição

SÃO PAULO – A sessão secreta do plenário do Senado na próxima quarta-feira (12), em que será decidido se o presidente da Casa, Renan Calheiros, será cassado ou não, é o principal destaque desta semana no Congresso Nacional.

Renan poderá discursar na sessão, sem tempo pré-estabelecido, para apresentar sua última defesa na denúncia de que usou dinheiro da empreiteira Mendes Júnior para o pagamento de pensão à jornalista Mônica Veloso, com quem teve uma filha.

O regimento da Casa também autoriza o senador a votar durante a sessão, porém Renan ainda não decidiu se irá optar pela abstenção. Caso o grupo pró-Renan calcule que o placar da votação será favorável ao parlamentar, ele pode optar pela abstenção para mostrar que tem força política no Senado.

Senadores ainda tentam sessão aberta

PUBLICIDADE

Alguns senadores da oposição ainda tentam mudar o regimento interno do Senado para permitir que a sessão do processo contra Renan seja aberta, caso de Delcídio Amaral, que prometeu apresentar projeto à Mesa Diretora da Casa para que as sessões de perda de mandato se tornem abertas.

No entanto, a maioria dos parlamentares admite que a matéria não conseguirá ser aprovada a tempo de vigorar nesta semana, já que precisa de acordo de todos os líderes para ser aprovada em tempo recorde.

Se for cassado, Renan Calheiros ficará inelegível por doze anos, quatro que ainda lhe restam do atual mandato e oito como determina a Constituição Federal.