Política

Renan Calheiros adia votação de vetos de Dilma para a próxima semana

O adiamento ocorreu por conta de um impasse envolvendo Eduardo Cunha e Renan sobre a inclusão da apreciação dos vetos da Lei da reforma eleitoral na sessão desta tarde

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Com o impasse junto ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL), anunciou nesta quarta-feira (30) o adiamento da sessão do Congresso Nacional em que estava prevista a discussão de vetos presidenciais à chamada “pauta-bomba”. A expectativa agora é que os vetos sejam votados na próxima terça-feira (6).

O debate envolve o fato de Cunha defender que na sessão do Congresso desta tarde também fosse incluída a apreciação dos vetos da Lei da reforma eleitoral, encaminhados ontem ao Congresso pela presidente Dilma. A iniciativa de Cunha foi interpretada por parte das lideranças partidárias do Senado como uma “chantagem” que não poderia ser atendida.

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, na reunião de líderes, o senador Jader Barbalho (PMDB-PA) foi um dos mais exaltados e críticos à postura de Cunha. Segundo relatos ouvidos pela publicação, Barbalho chegou a chamar o deputado de “ladrão” e “bandido” na presença dos demais líderes. A revolta com Cunha também contagiou integrantes da oposição do Senado.

Aprenda a investir na bolsa