Lava Jato

Relator conclui voto em ação na Lava Jato que pode tornar Lula inelegível

 João Pedro Gebran Neto concluiu seu voto como relator no recurso do ex-presidente Lula no caso triplex, mas ainda não há data para julgamento

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O desembargador João Pedro Gebran Neto, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, concluiu seu voto como relator no recurso do ex-presidente Lula no caso triplex, em que ele foi condenado a nove anos e meio de prisão em primeira instância pelo juiz Sérgio Moro. 

Contudo, não há data para julgamento e, até lá, o conteúdo do voto do relator é sigiloso e fica disponível somente para os desembargadores da 8ª Turma, que analisarão o caso.

O processo agora passará pelo desembargador Leandro Paulsen, revisor do caso na 8ª turma do TRF-4. Compõem a turma  três desembargadores: o relator João Pedro Gebran Neto, o revisor Leandro Paulsen, e o decano da Corte, Victor Laus. 

Aprenda a investir na bolsa

Caso seja confirmada a condenação em segunda instância, Lula não poderá disputar as eleições de 2018. O julgamento no TRF4 demora, em média, de 10 meses a um ano – no caso de Lula, o processo chegou ao Tribunal em 23 de agosto. 

A defesa de Lula vem se manifestado sobre a condenação. “A absolvição de Lula é o único resultado possível em um julgamento imparcial e independente, pois o ex-presidente não praticou qualquer crime e por isso o MPF não conseguiu apresentar prova de suas acusações”.