Reforma trabalhista no Japão deverá ser discutida em 2009

A reforma deverá mudar o contrato de trabalho e flexibilizar a contratação de temporários em setores não permitidos

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Em 2009, o governo deverá discutir uma Reforma Trabalhista que, entre outras coisas, deverá mudar o contrato de trabalho e flexibilizar a contratação de temporários em setores não permitidos atualmente.

Além disso, o trabalho de estagiários também deverá ser discutido na reforma, já que essa mão de obra mais barata tem substituído os trabalhadores especializados, o que está diminuindo a média salarial.

Instabilidade

Após a última reforma, realizada em 1999, as agências de emprego foram autorizadas a fechar contratos renováveis anualmente sem aumentar os salários. Isso criou instabilidade no trabalho e no emprego não efetivo.

Aprenda a investir na bolsa

Para o deputado Kensho Sasaki, se as mudanças não forem feitas, estrangeiros continuarão sendo contratados para trabalhos temporários, e a instabilidade no emprego irá continuar. Além disso, o político critica o fato de que o salário mínimo do país subiu muito pouco nos últimos anos, e já não garante a sobrevivência de um trabalhador.

Porém, para o deputado Komeito, a reforma de 1999 foi importante e ajudou a melhorar a economia japonesa. Mas ele também ressalta que a flexibilização trouxe pontos negativos e aumentou as diferenças salariais e de garantias sócias entre temporários e efetivos.