Energia

Redução na conta de luz deverá aumentar a competitividade, diz Fiesp

De acordo com Skaf, o preço justo da energia pode significar uma economia de quase R$ 1 trilhão nos próximos 30 anos

SÃO PAULO – Na avaliação da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) o anúncio feito na véspera pela presidente Dilma Rousseff, sobre a redução nas contas de luz, deverá impactar diretamente no crescimento econômico do País, reduzindo custos e aumentando a competitividade.

Em nota o presidente da Fiesp e da Ciesp, Paulo Skaf, enfatizou que o País não pode mais conviver com a terceira tarifa mais cara do mundo e que a entidade vem trabalhando pela redução no preço na energia, por meio da campanha Energia a Preço Justo

“Nossa luta sempre foi para reduzir a conta de luz de todos os brasileiros. E é uma satisfação grande ver que o trabalho deste ano e meio surtiu efeito, beneficiando a todos. É o resultado concreto da campanha ‘Energia a Preço Justo’ em benefício de todos brasileiros”, ressalta Skaf.

PUBLICIDADE

De acordo com Skaf, o preço justo da energia pode significar uma economia de quase R$ 1 trilhão nos próximos 30 anos. Levantamento feito pela Fiesp mostra que o valor das contas de luz cairia cerca de 20% com a amortização dos investimentos das usinas hidrelétricas com contratos de concessão, vencendo a partir de 2015.

Para baratear a conta de luz o governo anunciou que vai retirar os encargos que incidem sobre a energia. A redução anunciada é de 16,2% para residências e pequenas empresas, e de até 28% para os industriais na rede de alta tensão. Em média a redução será de 20,2%.

A Fiesp afirma ainda que analisará essa medida em detalhes para confirmar se o desconto levará um preço justo para as famílias, a indústria, o comércio e os serviços . “O que nos preocupa não é só o grande consumidor, mas a padaria, a farmácia, o hospital, a escola, os pequenos e médios negócios, os consumidores de menor porte e também as residências de todos os consumidores”, disse Skaf.