Diz Estadão

Receita recomenda ao MPF pedido de quebra de sigilos da empresa do filho de Lula

Receita recomenda quebra do sigilo da LFT, que tem como sócio Luís Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

SÃO PAULO – Segundo informações da Agência Estado, a Receita Federal recomendou ao MPF (Ministério Público Federal) que peça que os sigilos bancários da LFT Marketing Esportivo sejam quebrados. A LFT tem como sócio Luís Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 

Na segunda-feira (26), a Polícia Federal foi autorizada a fazer busca e apreensão na LFT, o que gerou irritação do ex-presidente Lula, no âmbito da Operação Zelotes. A empresa de marketing esportivo teria recebido pagamentos de Mauro Marcondes, um dos lobistas investigados por negociar a edição e aprovação da MP 471, que prorrogava incentivos fiscais ao setor automotivo, durante o governo Lula. Luiz Claudio confirma o recebimento de R$ 2,4 milhões, mas defende que os valores são referentes a serviços prestados a uma empresa de Marcondes.

Os auditores que trabalham na Zelotes também sugerem que as mesmas medidas sejam adotadas em relação ao restaurante Sanfelice Comércio de Massa Artesanal, que está em nome de Myriam Carvalho, filha de Gilberto Carvalho, ex-ministro e ex-chefe de gabinete de Lula. A recomendação é de que os sigilos sejam quebrados entre 

PUBLICIDADE

Nos dois casos, a recomendação é que as quebras sejam feitas entre 2008 e 2015, abarcando todo o período de funcionamento das empresas. Ambas foram abertas em 2011. As solicitações foram encaminhadas aos procuradores da República que atuam na força-tarefa da Zelotes.

Dilma completa 1 ano de mandato: como foi o desempenho de Bolsa dólar e mais 36 ativos? Deixe o email abaixo e confira: