“Rebeldes postais”, expulsos durante o mandato de Koizumi, voltam ao PLD

Partido aceita de volta 13 dos membros expulsos por se posicionarem contra o plano de privatização postal em 2005

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Parte dos chamados “rebeldes postais”, grupo de políticos expulsos do Partido Liberal Democrático no ano passado, após se posicionarem contra o plano de reforma postal, foi readmitido no partido.

Segundo anunciado nesta terça-feira (28) pelo primeiro ministro e líder do PLD, Shinzo Abe, 11 deles assinaram um compromisso de nunca desobedecer as regras do partido e foram reaceitos.

A decisão de expulsá-los, junto com outros 16 colegas, partiu de Junichiro Koizumi, antecessor de Abe nos dois cargos, quando o grupo rejeitou sua proposta de privatização do sistema postal do Japão no ano passado.

Unificação antes das eleições

Aprenda a investir na bolsa

A população reagiu bem e deu maioria para o partido nas eleições antecipadas para a Câmara Baixa, realizada logo após o incidente, enquanto apenas 13 rebeldes foram reeleitos, dos quais um foi para a oposição e o outro não quis se submeter às condições de reentrada no PLD oferecidas por Abe.

Segundo o atual primeiro-ministro, aceitar o grupo novamente no partido é uma forma de mantê-lo unido e ganhar força para as importantes eleições marcadas para o ano que vem. A reação do povo, desta vez foi negativa, e a taxa de popularidade do líder caiu.