Discurso controverso

Reações à fala de 1º de maio de Dilma: para FT, “populismo”; para Aécio,”patético”

Jornal britânico classifica o aumento dos valores do programa Bolsa-Família como a "ação mais agressiva de contra-ataque da presidente contra a oposição", enquanto Aécio diz que Dilma protagonizou uma cena patética

SÃO PAULO – A fala em rede nacional de rádio e TV da última quarta-feira (30) da presidente Dilma Rousseff para marcar o dia do Trabalho levou a reações diversas. No pronunciamento, a presidente anunciou que vai corrigir a tabela do Imposto de Renda e atualizar em 10% os valores pagos aos beneficiários do Programa Bolsa Família. 

No dia seguinte ao discurso, o jornal britânico Financial Times destacou que o aumento dos valores do programa é uma medida populista antes das eleições, classificando como a “ação mais agressiva de contra-ataque da presidente contra a oposição”. 

O jornal ressalta que o reajuste está acima da inflação, que gira em torno de 6% e que, mesmo com Dilma seguindo líder isolada nas pesquisas de intenção de voto, a medida acontece poucos dias depois de pesquisas eleitorais mostrarem queda da preferência dos eleitores pela presidente e aumento da intenção de voto em Aécio Neves e Eduardo Campos. 

PUBLICIDADE

A publicação cita ainda a opinião de analistas de que os 36 milhões de beneficiários do programa formam um eleitorado fiel ao PT, principalmente na região Nordeste. 

Já o pré-candidato à presidência pelo PSDB, Aécio Neves, disse que a presidente Dilma protagonizou uma “cena patética”. Ao chegar ao evento que a Força Sindical promoveu na véspera em São Paulo para comemorar o dia do trabalho, ele declarou que “ela usou assuntos de Estado para fazer proselitismo político”. 

Aécio também afirmou que “a presidente diz que quer dialogar com os trabalhadores, mas hoje está trancada no Palácio do Planalto.” Em discurso, ele reforçou ainda que quer “resgatar a Petrobras”. 

Vale ressaltar que, de acordo com informações do jornal O Estado de S. Paulo, a oposição recorrerá à Justiça contra o pronunciamento de Dilma. O vice-líder do PSDB, Álvaro Dias, afirmou que o departamento jurídico do partido certamente acionará o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) por considerar que se tratou de campanha eleitoral antecipada. 

 “A primeira conclusão é que é necessário acabar com o processo de reeleição no Brasil porque o abuso é desmedido. O que ela fez hoje foi campanha eleitoral antecipada e com dinheiro público. É um ritmo de discurso eleitoral com discurso mentiroso. Quando ela aborda a questão da corrupção, ela fala o contrário do que o seu governo faz: em vez de combater a corrupção, coloca a sujeira embaixo do tapete”, afirmou.