Conta salgada

R$ 70 mi: cerca de 20% dos gastos de campanha de Dilma foram para empresa de João Santana

"Não se sabe o quanto disso é, de fato, lucro próprio, mas significa nada menos que 20% dos gastos totais da campanha da presidente", destaca a publicação

SÃO PAULO – Conforme destaca o site da Veja de hoje, dos R$ 350 milhões declarados pela presidente em 2014, um recorde para qualquer pleito, cerca de R$ 70 milhões foram diretamente para a conta da Pólis Propaganda, de João Santana, o marqueteiro da campanha.

De acordo com a publicação outros 8 milhões de reais foram repassados à empresa por meio do diretório nacional do partido. “Não se sabe o quanto disso é, de fato, lucro próprio, mas significa nada menos que 20% dos gastos totais da campanha da presidente”, destaca a publicação. Em 2010, afirma a Veja, Santana teria ganhado “apenas” R$ 42 milhões. Ainda segundo a coluna de Lauro Jardim, uma biografia do marqueteiro da campanha petista será lançada em janeiro. 

A campanha da presidente Dilma à reeleição arrecadou R$ 350,8 milhões e gastou R$ 350,5 milhões, não chegando, portanto, ao teto estipulado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) de R$ 383 milhões. Entre as empresas que mais doaram, aparecem o frigorífico JBS (JBSS3) e as construtoras Andrade Gutierrez e a OAS, envolvida na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que investiga denúncias de corrupção e propinas na Petrobras (PETR3PETR4). 

PUBLICIDADE

Os cinco que mais doaram foram o JBS (R$ 73,2 milhões), seguido por Andrade Gutierrez, OAS, Bradesco (BBDC3BBDC4) e Odebrecht, que doaram R$ 21 milhões, R$ 20 milhões, R$ 10,2 milhões e R$ 8,9 milhões, respectivamente. Os dados foram divulgados nesta noite pelo TSE.