PT se divide sobre aliança com PSBD em MG, que pode favorecer Aécio Neves

União entre os partidos opostos em nível nacional foi aprovada pelo diretório estadual com votação apertada

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O diretório estadual do PT em Minas Gerais referendou – em votação apertada – a aliança com o PSDB e o PSB para a disputa da eleição municipal em Belo Horizonte. União pode repercutir em 2010.

Arquitetada pelo prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel (PT), e o governador de Minas Gerais Aécio Neves (PSDB), a aliança entre os dois partidos antagônicos em nível federal causa reações adversas de setores petistas, especialmente membros do Governo e políticos ligados ao diretório nacional do partido.

Racha partidário

A executiva nacional já havia decidido pelo veto ao acordo, embora tenha aliviado seus termos após avaliar que isto afetaria mais o relacionamento com o aliado PSB, que encabeçará a chapa em Belo Horizonte com Márcio Lacerda. Agora, terá 30 dias para pronunciar-se sobre o fato.

Aprenda a investir na bolsa

O presidente do diretório mineiro do PT, deputado federal Reginaldo Lopes, afirma que uma aliança com os tucanos em Belo Horizonte tem visibilidade nacional, podendo proporcionar ao partido adversário uma “vitrine” indesejada, na cidade mais importante administrada pelo seu partido.

Vencida por 29 a 26 votos, com 3 abstenções, a decisão revela a grande divisão que permeia o Partido dos Trabalhadores no estado, com grupos aglutinados em torno de Pimentel e Patrus Ananias, ministro do desenvolvimento e combate à fome.

Aécio favorecido

Por fim, a decisão pode ser encarada como uma vitória política de Aécio Neves, que busca viabilizar-se como candidato à presidência da República em 2010.

Caso não seja o indicado de seu partido, rumores dão conta de que o governador mineiro poderia candidatar-se pelo PMDB, tendo como um de seus trunfos o bom relacionamento com setores do PT e o próprio Presidente Lula.