STOCK PICKERS Pedro Chermont e Hulisses Dias falam sobre as lições de Warren Buffett que podemos aplicar nesta crise; assista

Pedro Chermont e Hulisses Dias falam sobre as lições de Warren Buffett que podemos aplicar nesta crise; assista

Limites

PT promete “guerra” contra a oposição na volta do recesso para defender Lula

"Mexer com a Dilma tudo bem, mas com o Lula não!", teria dito um senador petista à coluna Painel da Folha de S. Paulo

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Investigado por tráfico de influência em suas relações com executivos de empreiteiras, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem sido cada vez mais um alvo para deputados e senadores da oposição. Para blindar Lula, segundo informações da coluna Painel da Folha de S. Paulo, parlamentares petistas vão responder a esses ataques nas tribunas e “partir para cima” de membros da oposição como o senador Aécio Neves (PSDB – MG) e Cássio Cunha Lima (PSDB – PB). 

A nova estratégia do partido será cobrar que as investigações da Operação Lava Jato passem a cobrir também a relação das empreiteiras com os governos do PSDB em estados como Minas Gerais e São Paulo. De acordo com a apuração da Folha, um senador petista que esteve com a presidente da República, Dilma Rousseff, explicou a reação do PT desta maneira: “mexer com a Dilma tudo bem, mas com o Lula não!”. 

Ainda segundo a Folha, os dirigentes de partidos da oposição já apontavam na semana passada que o agravamento da situação de Lula teria como risco o reagrupamento dos grupos de esquerda, que hoje se encontram dispersos e muitas vezes críticos ao governo Dilma. Na semana passada o InfoMoney noticiou que o PSTU, partido da extrema esquerda, convocou trabalhadores para pedir o impeachment de Dilma

PUBLICIDADE