Novas denúncias

PT desviou dinheiro da Petrobras para pagar chantagista, diz Veja; candidatos reagem

O PT teria pago R$ 6 milhões para impedir a divulgação de supostas provas sobre o envolvimento de líderes em uma rede criminosa que levou ao assassinato, em 2001, do então prefeito de Santo André, Celso Daniel; Marina e Aécio falam sobre o assunto

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A revista Veja destacou em reportagem da revista desta semana novas denúncias envolvendo a Petrobras (PETR3;PETR4), ao mostrar os desdobramentos do ciclo de denúncias de corrupção da companhia nos últimos dez anos. Segundo a revista, o PT foi chantageado para que não fossem revelados documentos comprovando a suposta participação de integrantes do partido no escândalo da companhia. 

O PT teria pago R$ 6 milhões para impedir a divulgação de supostas provas sobre o envolvimento de líderes em uma rede criminosa que levou ao assassinato, em 2001, do então prefeito de Santo André, Celso Daniel. O ex-presidente Lula, o ministro Gilberto Carvalho e outros decidiram que era melhor ceder e pagar os criminosos para evitar envolver nomes importantes do PT. 

O caso teria sido relatado pela primeira vez pelo operador do mensalão Marcos Valério ao Ministério Público, ao afirmar que o PT usou a Petrobras para levantar R$ 6 milhões e pagar um empresário que ameaçava envolver Lula, Carvalho e José Dirceu no assassinato de Celso Daniel. Contudo, Valério não tinha como provar a denúncia. O chantagista seria Enivaldo Quadrado, que também teria participado do esquema contra os cofres da estatal brasileira.

Aprenda a investir na bolsa

Segundo a publicação, Quadrado deu um ultimato ao tesoureiro do PT, João Vacari Neto: ou era devidamente remunerado ou daria à polícia os detalhes de documento apreendido no escritório do doleiro Alberto Youssef. O documento era um contrato de empréstimo entre a 2 S Participações, de Marcos Valério, e a Expresso Nova Santo André, de Ronan Maria Pinto. O valor desse contrato é de 6 milhões de reais, exatamente a quantia que Valério dissera ao MP que o PT levantara na Petrobras para abafar o escândalo em Santo André. “ É esse o contrato que prova a denúncia de Valério. É esse o contrato que, em posse de Quadrado, permitia ao chantagista deitar e rolar sobre os petistas”, destacou a revista. 

Reação dos candidatos
Na madrugada de domingo, a candidata à presidência pelo PSB, Marina Silva, comentou sobre as novas denúncias em relação ao PT e à Petrobras da revista Veja. Marina ressaltou que o País “tem que ter passado limpo” e afirmou: “Vamos aguardar os resultados das investigações e queremos que o Brasil seja passado a limpo, não podemos aceitar qualquer forma de corrupção, seja na Petrobras, seja qualquer órgão público. Estamos vivendo neste momento uma situação muito dramática. A corrupção aumentando, os juros subindo, a inflação retornando e o país com baixo rendimento. Esse país tem que ser passado a limpo e nós confiamos que esse trabalho que está sendo feito e quem for culpado deve ser punido e quem for inocente tem que ser inocentado. A Justiça e as instituições tem que funcionarem”, destacou.

Já Aécio Neves (PSDB) disse que o governo da presidente Dilma não tem condições morais para pleitear o segundo mandato, ao comentar reportagem. “A marca do governo do PT é essa, uma denúncia por semana, e cada uma mais grave que a outra. Nós temos que resgatar o padrão ético na Presidência da República”, afirmou, de acordo com O Globo.