Guerra pós-eleição

PT ataca Aécio em documento e afirma que tucano representa retrocesso neoliberal

Em discurso no Senado, o peessedebista se defendeu e disse que os insultos ofendem os eleitores que optaram por ele nas urnas no segundo turno.

SÃO PAULO – A vitória apertada de Dilma Rousseff, do PT, na eleição presidencial parece ter mexido com os ânimos do partido. Na segunda-feira, a sigla divulgou uma resolução partidária, na qual atacou o adversário da petista nas urnas, Aécio Neves, do PSDB.

No documento, disponibilizado no site oficial da legenda, além de afirmar que Aécio representa o “retrocesso neoliberal”, o PT atribuiu ao senador a prática das piores práticas políticas, entre elas, o machismo, o racismo, o preconceito, o ódio, a intolerância e a nostalgia da ditadura militar.

O partido ironizou o pedido de auditoria das eleições feito pelo PSDB e afirmou que a legenda opositora tenta chantagear o governo para que Dilma adote o programa de governo da oposição. “Inconformada com a derrota, a oposição cai no ridículo ao questionar o resultado eleitoral no TSE. Ainda ressentida, insiste na divisão do País e investe contra a normalidade institucional”.

PUBLICIDADE

O PT justificou que a resolução partidária tem como objetivo “afastar as manobras golpistas” e realizar um balanço das iniciativas de curto, médio e longo prazo.

Em discurso no Senado feito nesta quarta-feira, o senador se defendeu sobre a resolução política do PT, ao dizer que, com as declarações de que a oposição defende o machismo, o racismo, o preconceito, o ódio e a nostalgia da ditadura militar, eles jogam sobre 51 milhões de brasileiros estas características. 

“A nossa campanha defendeu limites da ética: nós somos brasileiros de diversas matrizes ideológicas que se juntaram no mesmo projeto porque esse era o melhor projeto melhor para o País”.