Impeachment de Dilma

PSDB na Câmara diz que já há elementos para pedir impeachment e quer fazê-lo até 4ª

O líder do PSDB na Câmara, deputado Carlos Sampaio afirmou que informará oficialmente esta posição a Aécio Neves na terça-feira, de acordo com a Folha

SÃO PAULO – A bancada do PSDB da Câmara decidiu que já há elementos para pedir imediamente o impeachment da presidente Dilma Rousseff e quer apresentar o pedido até quarta-feira (27), de acordo com informações da Folha de S. Paulo. Assim, os deputados tucanos avaliam que não há a necessidade de aguardar novos fatos ou pareceres jurídicos. 

O líder do PSDB na Câmara, deputado Carlos Sampaio (SP) afirmou que informará oficialmente esta posição ao presidente nacional do partido, senador Aécio Neves (MG) na terça-feira e o objetivo é apresentar o pedido de impeachment entre terça-feira e quarta-feira. 

“O que vou dizer ao Aécio é que na visão da bancada não tem mais o que aguardar. A Câmara é quem decide a abertura do impeachment, então o protagonismo tem que ser da bancada da Câmara. Ela tem que tomar uma decisão e a decisão já foi tomada: o impeachment é cabível e não temos que aguardar mais nenhum parecer”, afirmou Sampaio em Brasília, segundo a Folha. 

PUBLICIDADE

Nesta semana, o PSDB adotou maior cautela com relação a um possível pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, em meio a declarações diversas entre o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que classifica o movimento como precipitado, e alguns senadores e deputados do partido que defendem com mais veemência o pedido. 

Na quarta-feira, Aécio diminuiu o tom sobre o pedido de impeachment da presidente e disse que o PSDB não iria se precipitar. Naquela data, senadores se reuniram com o jurista Miguel Reale Jr. para falar sobre o parecer do pedido de impeachment.  O jurista fez uma apresentação preliminar e disse concordar com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, de que as “pedaladas fiscais”, um dos argumentos da oposição para o impeachment, foram feitas no primeiro mandato e não colocam em risco o atual mandato de Dilma. 

“O que quero afirmar de maneira muito clara é que o PSDB estará unido no momento em que definir qual é a ação cabível. E mais do que isso, estará unido aos partidos de oposição. Não iremos nos omitir. Tampouco vamos nos precipitar”, disse Aécio em coletiva após o encontro. Ele ainda afirmou que a oposição trabalha unida e com responsabilidade no debate sobre um pedido de impeachment da presidente da República e só avançará nesta proposição no momento em que tiver consistência nesta análise.