Política

PSB manifesta apoio a Lula antes de julgamento decisivo em Porto Alegre

Apesar do aceno favorável ao principal líder petista, partido deve manter distância do manifesto "Eleição sem Lula é Fraude"

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Um dia antes de a 8ª turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região julgar recurso da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra condenação em primeira instância por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, o PSB decidiu manifestar publicamente apoio ao líder petista. Após reunião da Executiva Nacional, o partido divulgou nota condenando a celeridade do processo e defendendo o direito de Lula disputar as eleições que definirão o sucessor de Michel Temer no Palácio do Planalto.

A carta, assinada pelo presidente nacional da sigla, Carlos Siqueira, chama atenção para uma “atipicidade na velocidade” de tramitação do processo, que acabou gerando “um fato político”. “Considera-se que o tribunal político mais adequado em uma democracia é o voto popular, em eleições livres — avaliação essa que é comum, no presente caso, à maioria das forças políticas responsáveis, independentemente de seu espectro ideológico”, diz o texto.

O PSB pertence ao bloco de oposição ao governo Michel Temer, mas mantém distância do PT antes mesmo das últimas eleições, quando lançou como candidato o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, morto em acidente aéreo. Hoje, o partido compõe chapa com o PSDB no governo de São Paulo e pode vir a apoiar Geraldo Alckmin na corrida presidencial caso não lance candidato próprio.

PUBLICIDADE

Apesar do aceno favorável ao principal líder petista, o PSB deve manter distância do manifesto “Eleição sem Lula é Fraude”.

Confira a íntegra da nota:

“Nota a Propósito do Julgamento do Ex-Presidente Lula

O Partido Socialista Brasileiro – PSB, como todas as demais forças políticas instituídas do País, vem sendo chamado a se manifestar sobre o julgamento do ex-presidente Lula, que ocorrerá no próximo dia 24/01.

Nesse contexto, há dois elementos que merecem destaque. Em primeiro lugar, verifica-se certa atipicidade na velocidade com que tramitou o processo em segunda instância.

Quanto a esse aspecto, notamos que a rapidez da Justiça é um direito que assiste a toda a população, mas superar, no caso específico, a morosidade habitual, terminou por criar um fato político.

Em segundo lugar, considera-se que o tribunal político mais adequado em uma democracia é o voto popular, em eleições livres — avaliação essa que é comum, no presente caso, à maioria das forças políticas responsáveis, independentemente de seu espectro ideológico.

Cabe observar, ainda, que uma solução política, por meio das urnas, que se viabilize respeitando de modo estrito a legalidade, é condição necessária para que o País supere a crise política que vivencia há pelo menos três anos.

Brasília-DF, 23 de janeiro de 2018.

CARLOS SIQUEIRA

Presidente Nacional do Partido Socialista Brasileiro – PSB”