Perspectivas

Próxima semana terá debates entre Aécio e Dilma, pesquisas e mais 3 eventos

Passado o primeiro turno, mercado agora fica de olho a cada pesquisa sobre a corrida entre Dilma e Aécio; dados da economia brasileira e chinesa agitam a Bolsa

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Mal foram apurados os votos do primeiro turno e o mercado já começava a tentar antecipar os próximos passos desta corrida eleitoral. Já na segunda-feira (6), rumores indicavam que nas primeiras pesquisas do segundo turno, Aécio Neves (PSDB) deveria aparecer à frente de Dilma Rousseff (PT), e assim foi. Diante disso, o Ibovespa termina a semana com ganhos de 1,42%, enquanto o dólar, que em setembro bateu em R$ 2,50, voltou para patamares próximos de R$ 2,40.

E daqui até o final de outubro não deve ser diferente. Após a “confusão” com as primeiras pesquisas – os pouco conhecidos Instituto Paraná e Instituto Veritá divulgaram levantamentos com Aécio quase 10 pontos na frente -, e Ibope e Datafolha confirmarem o tucano à frente, mas ainda em empate técnico com a petista, a semana deve ser marcada pela expectativa do primeiro debate entre os dois presidenciáveis.

O primeiro debate será o da Rede Bandeirantes – como normalmente ocorre -, na próxima terça-feira (14), às 22h. Esta será a primeira vez que os dois candidatos irão se enfrentar diretamente, tanto com perguntas diretas quanto respondendo questões de jornalistas. Já na quinta-feira (16), será a vez do SBT realizar um debate. Porém, a Folha de S. Paulo desistiu de participar porque a campanha de Dilma vetou perguntas de jornalistas. Ainda neste ambiente, o mercado também deve seguir de olho nas pesquisas eleitorais: ainda no final de semana estão programados levantamentos do Sensus e Vox Populi.

PUBLICIDADE

Diante deste cenário, os próximos dias devem continuar de volatilidade para a Bolsa, com os investidores sempre atentos ao noticiário eleitoral e qualquer divulgação de pesquisa, mas estes efeitos não devem refletir apenas nas ações. O câmbio também deve seguir oscilando forte, com as cotações do dólar subindo com sinalizações pró-Dilma, e caindo com dados bons para Aécio.

Prévia do PIB
Na agenda de indicadores, o grande destaque da semana fica para o IBC-BR (Índice de Atividade Econômica do Banco Central), considerado a prévia do PIB (Produto Interno Bruto) nacional. A expectativa dos analistas da Rosenberg Consultores é que o indicador tenha uma expansão de 0,9% no mês em relação ao anterior.

“Na comparação com agosto de 2013, todavia, ainda esperamos queda de 0,3%, similar à registrada no mês anterior. Deste modo, os indicadores de atividade devem mostrar alguma melhora na margem, mas não apontar uma recuperação fragorosa”, destacaram em nota.

EUA e China no radar
Na falta de notícias eleitorais, o mercado deve seguir o humor dos mercados internacionais, principalmente nos EUA, como ocorreu na sessão desta sexta-feira. Em relação à agenda externa, a semana começa com a divulgação de dados sobre a economia chinesa, com o anúncio dos dados referentes ao setor externo na segunda-feira e inflação na terça-feira.

Enquanto isso, nos EUA, a semana começa com um feriado, que deixará a Bolsa fechada por lá, tirando um referência dos investidores e devendo reduzir o volume de negócios na Bovespa. Já na quarta-feira (15) será a vez da publicação do Livro Bege, onde o Federal Reserve apresenta suas observações e perspectivas para a economia norte-americana.

Por fim, vale ao investidor ficar atento às notícias sobre o proliferação da Ebola pelo mundo. Na última semana, com o primeiro caso ocorrendo nos EUA, algumas ações “azedaram” junto com o humor do mercado, e agora que suspeitas estão rondando o Brasil, alguns papéis podem acabar sendo afetados conforme informações forem sendo divulgadas sobre o assunto.