Protestos na Líbia crescem, com rumores sobre ataques a TV e prédios públicos

Cidades do interior do 4º maior produtor de petróleo da África podem estar sob controle de opositores do governo

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Os protestos na Líbia, quarto maior produtor de petróleo da África, intensificam-se nesta segunda-feira (21), com rumores sobre ataques de manifestantes a prédios públicos no país. Em razão da crescente instabilidade, a cotação do barril tipo Brent já superava US$ 104,00 nesta manhã.

Informações desencontradas dão conta de que cidades no interior do país já estariam tomadas por opositores do governo, bem como edifícios públicos que teriam sido depredados em diversas localidades, inclusive na capital Tripoli, onde a sede de uma rede televisão estatal teria sido saqueada, segundo relatos.

A despeito do feriado nos EUA, o barril de petróleo em Nova York é cotado a US$ 89,24, com alta de 3,53% na Nymex (New York Mercantile Exchange), ao passo em que a onça do ouro atinge US$ 1.403, uma alta de 0,99%.

Aprenda a investir na bolsa

Resistência
Ainda que desencontradas, as informações convergem para o acirramento da violência na Líbia, acerca da qual Saif Gaddafi, filho do Cel. Muammar Gaddafi, que está à frente do país desde 1969, afirmou que o governo lutará “até o último minuto, até a última bala”, segundo a rede Al Jazeera, a qual estima que o conflito já é responsável por mais de 200 mortes.