Operação Lava Jato

Procuradores chegam à Suíça para repatriar recursos da Petrobras; país impõe condições

Segundo um interlocutor dos procuradores, o plano deles é voltar ao Brasil com os US$ 23 milhões de Costa e eles possuem autorização expressa do ex-diretor para fazer a repatriação dos recursos

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Conforme destaca o jornal O Globo de hoje, dois procuradores responsáveis pela Operação Lava Jato chegaram à Suíça para obter de autoridades locais a permissão para repatriar cerca de US$ 23 milhões – ou R$ 57 milhões – depositados em contas bancárias por Paulo Roberto Costa, ex-diretor de abastecimento da Petrobras (PETR3;PETR4). 

Segundo um interlocutor dos procuradores, o plano deles é voltar ao Brasil com os US$ 23 milhões de Costa e eles possuem autorização expressa do ex-diretor para fazer a repatriação dos recursos.

Porém, de acordo com informações do jornal O Estado de S. Paulo, a Justiça Suíça colocou condições para a devolução do dinheiro bloqueado. O Brasil, se quiser o dinheiro de volta, terá que dar garantias de que os recursos não voltarão para o suspeito e nem para outras empresas e pessoas, ficando exclusivamente para o Estado. 

PUBLICIDADE

Pela lei suíça, os recursos bloqueados apenas são enviados ao país de origem se a Justiça que os investiga condena o suspeito em última instância. Além disso, os próprios suíços investigam Costa por lavagem de dinheiro, o que complica mais o caso. Segundo o Estadão, durante reuniões, os suíços chegaram a alertar que, se alguma informação vazar, a cooperação será suspensa imediatamente e o acesso a documentos será encerrado.