Crimes na política

Procurador geral pede 35 anos de prisão para filho de Maluf

No documento enviado ao Supremo, Janot afirmou que não é mais possível punir Paulo Maluf porque já teria ocorrido a prescrição, após ter destacado que a pena poderia ser de 23 anos, 6 meses e 15 dias de reclusão

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao STF (Supremo Tribunal Federa) a condenação de Flávio Maluf, filho do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP), a uma pena de 35 anos e 15 dias de reclusão no regime fechado por suposto envolvimento com desvios nas obras das Águas Espraiadas, em São Paulo.

No documento enviado ao Supremo, o procurador afirmou que não é mais possível punir Paulo Maluf porque já teria ocorrido a prescrição, mas destacou que a pena poderia ser de 23 anos, 6 meses e 15 dias de reclusão. No entanto, ele pede a devolução de R$ 32,5 milhões aos cofres públicos.

Conforme a acusação, teriam sido cometidos os crimes de corrupção passiva, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha durante os anos de 1997 a 2001. 

PUBLICIDADE