Política

Presidente do PT pede para que deputados “não acabem com a imagem” do partido

Na noite de terça-feira, o dirigente disse que o partido "não pode passar por esse desgaste" em relação ao caso no Conselho de Ética sobre abertura de processo contra Cunha

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Em meio a tensão política que atinge o País, que em seu mais recente capítulo mostra uma “guerra” para que deputados do PT escolham se votariam contra ou a favor da abertura de um processo contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (que foi anúnciado hoje que irão votar contra ele), o presidente do Partido dos Trabalhadores, Rui Falcão, saiu mais uma vez em defesa da sigla.

Na noite de terça-feira (1), o dirigente disse que o partido “não pode passar por esse desgaste” e que a participação da sigla no arquivamento do processo contra o peemedebista “vai acabar com a imagem” do PT.

Na direção oposta do governo federal, que tem pressionado os três deputados federais a encerrarem a investigação contra Cunha, Falcão defendeu nas redes sociais que os parlamentares petistas votem pela admissibilidade do processo. Sob fogo cruzado, Zé Geraldo (PT-PA), Valmir Prascidelli (PT-SP) e Leo de Brito (PT-AC) afirmaram hoje que iriam votar contra Cunha. Apesar disso, a votação não ocorreu nesta quarta-feira.

PUBLICIDADE

Os defensores de um acordo com Cunha, entre eles o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acreditam que ele engavetará pedidos de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff se conseguir salvar seu mandato no Conselho de Ética. No entanto, a direção do PT, a maioria da bancada e até uma ala minoritária do governo decidiu remar na corrente contrária.