Presidente do Paquistão defende adiamento das eleições no país

Depois do assassinato da líder da oposição, Benazir Bhutto, revoltas populares cresceram nas principais cidades

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O presidente do Paquistão, Pervez Musharraf, disse na última quarta-feira (2) que defende o adiamento das eleições gerais em seis semanas. O pleito deveria ocorrer na próxima quinta-feira.

Segundo ele, uma votação livre e justa seria impossível devido às revoltas populares deflagradas após o assassinato da líder da oposição e ex-premiê do país, Benazir Bhutto no dia 27 de dezembro.

Pleito em 18 de fevereiro

Eleita duas vezes para o cargo de premiê do país, ela havia retornado recentemente ao Paquistão, após exílio, para representar o partido de oposição nas eleições.

PUBLICIDADE

Na última quarta-feira, responsáveis pela realização da disputa confirmaram a prorrogação para 18 de fevereiro.

A morte de Bhutto acarretou uma grande tensão também nos mercados financeiros. O preço do barril de petróleo chegou a atingir os US$ 100 na última sessão. O Oriente Médio é a principal região produtora do óleo no mundo.