Presidente do Conselho de Ética do Senado arquiva denúncias contra Sarney

Decisão é tomada com respaldo do STF que determinou a não utilização de matérias divulgadas na imprensa como provas

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O senador Paulo Duque (PMDB-RJ), presidente do Conselho de Ética do Senado, arquivou nesta quarta-feira (5) três das cinco denúncias apresentadas pelo senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) contra o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP). Duque alegou a falta de documentos que comprovassem o envolvimento de Sarney em irregularidades.

Entre as denúncias arquivadas estava a acusação, por parte de Virgílio contra Sarney, de que o parlamentar teria facilitado a concessão de empréstimos consignados para servidores do Senado, que seria operado por um dos seus netos.

Duque argumentou, ao indeferir a denúncia, que decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) determina que não seja admitido para efeito de prova denúncias feitas pela imprensa, uma vez que toda a crise do Senado se originou devido a escândalos que foram revelados na mídia.Virgílio declarou que vai recorrer das decisões do presidente do Conselho de Ética dentro do prazo regimental de dois dias úteis.

Outras acusações

PUBLICIDADE

Paulo Duque também indeferiu as representações do PSOL contra o presidente do Senado e o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), por supostas irregularidades administrativas cometidas na Casa, sob a mesma alegação de que o STF decidiu por não utilizar como provas as matérias publicadas na imprensa.

Quanto às outras representações feitas no Conselho de Ética contra José Sarney, o presidente Paulo Duque não revelou quando elas serão avaliadas pelo órgão.