Se livrou!

Presidente do Conselho de Ética arquiva cassação contra Aécio e diz que senador foi injustiçado

"Se quiserem continuar, vão ter que recorrer ao plenário", afirmou João Alberto Souza

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O presidente do Conselho de Ética do Senado, João Alberto Souza (PMDB), arquivou nesta sexta-feira (23) a representação que pedia a cassação do mandato de Aécio Neves (PSDB-MG). A decisão era aguardada desde segunda-feira (19), quando o presidente do Conselho tomou conhecimento da representação contra o senador afastado.

“O pedido não me convenceu. Não foi suficiente para abrir inquérito contra o senador Aécio. O que fizeram com ele foi uma grande injustiça…se quiserem continuar, vão ter que recorrer ao plenário”, afirmou Alberto Souza.

O pedido foi apresentado pela Rede e pelo PSOL depois que Aécio foi citado na delação premiada do empresário Joesley Batista. Os partidos oposicionistas argumentam que houve quebra de decoro parlamentar pelo senador.

Aprenda a investir na bolsa

Segundo o depoimento do empresário, Aécio teria pedido R$ 2 milhões em propina para pagar despesas com sua defesa no âmbito das investigações da Operação Lava Jato. A denúncia motivou o afastamento do senador pelo STF (Supremo Tribunal Federal).