Fique de olho

Prepare-se: “Super quarta-feira” promete agitar o mercado com 6 grandes eventos

Reunião do Fomc promete ser o grande destaque do dia, mas cenário político brasileiro ganha força, enquanto o STF tomará decisões importantes nesta quarta

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Fevereiro já começa com tudo no mercado, com 6 eventos agitando esta quarta-feira (1) e trazendo grande volatilidade. O cenário político volta a ganhar força com a volta do recesso parlamentar – com eleição no Senado -, enquanto no exterior o destaque fica para a reunião do Fomc em sua primeira decisão de juros desde a posse de Donald Trump como presidente. Destaque ainda para dados de emprego nos Estados Unidos, PMI na China e duas importantes decisões no STF.

A manhã terá diversos indicadores no Brasil, com destaque para a produção industrial de dezembro, mas será às 11h15 (horário de Brasília), que os investidores irão parar para acompanhar a divulgação do ADP Employment, que mostra a criação de vagas no setor privado dos Estados Unidos. As projeções da equipe da LCA Consultores apontam para um aumento de 153 mil para 175 mil.

O dado ganha força principalmente após o resultado pior que o esperado do PIB (Produto Interno Bruto) dos EUA divulgado na semana passada. Os dois indicadores podem afetar o resultado da reunião do Fomc, que termina às 17h desta quarta. A expectativa é de manutenção dos juros, mas com maiores sinalizações sobre os efeitos de Trump na economia, e dados mais fracos podem indicar menos altas das taxas este ano, impactando o dólar.

Aprenda a investir na bolsa

Para Jason Vieira, economista-chefe da Infinity Asset, este será um comunicado que precisará ser olhado com mais atenção, já que serão os detalhes que ganharão destaque. Segundo ele, os integrantes da autoridade deverão comentar sobre o efeito inflacionário das medidas do novo presidente, além dos impactos na indústria, o que deverá levar um tom muito mais “hawkish” para a decisão.

Já José Faria Júnior, diretor da Wagner Investimentos, ressalta a mudança do Comitê do Federal Reserve, com a troca de quatro membros deixando um tom mais “dovish” para o grupo. Para ele, o Fomc atual é mais propenso a deixar os jutos mais baixos, mas teremos que esperar o comunicado para comprovar. Caso isto ocorra, o dólar poderá cair ainda mais.

Ainda no exterior, mas após o fechamento do mercado brasileiro, será apresentado o PMI da indústria na China e, apesar do mercado local estar fechado até quinta-feira por conta do Ano Novo Lunar, papéis como a Vale e as siderúrgicas poderão ser fortemente impactados pelo resultado do indicador no próximo pregão.

Política agita o Brasil
Ocorre nesta quarta-feira a eleição para o novo presidente do Senado. Eunício Oliveira (PMDB-CE) é considerado o grande favorito e especialistas indicam que ele deve vencer no primeiro turno. Para Vieira, este é evento é importante por indicar força para o governo, mas não deve ter grande impacto no mercado. Por outro lado, é importante ficar de olho nas articulações para a eleição na Câmara dos Deputados, que ocorre na quinta-feira (2), onde o cenário é conturbado.

O favorito é o atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), mas na segunda-feira seus adversários entraram com um mandado de segurança para que o STF conceda uma liminar impedindo a candidatura dele, o que pode trazer mais tensão. Atualmente, estão confirmadas as candidaturas de Jovair Arantes (PTB-GO), Rogério Rosso (PSD-DF), André Figueiredo (PDT-CE) e Júlio Delgado (PSB-MG), mas novos nomes podem surgir nesta quarta, último dia para registrar a candidatura. Com isso, a decisão deve ficar para segundo turno e o mercado ficará atento para ver quem será o vencedor desta disputa.

Porém, o que deve deixar o mercado mais apreensivo nesta quarta, segundo os especialistas, é a volta do recesso no STF (Supremo Tribunal Federal). A sessão de retorno será marcada por homenagens ao ministro Teori Zavascki, mas também deve registrar uma definição sobre qual caminho será tomado para escolher a relatoria da Lava Jato. A tendência é que a presidente Cármen Lúcia decida realizar um sorteio para decidir o futuro da operação.

PUBLICIDADE

Além disso, o STF também tomará outra decisão importante, com o julgamento da ação que discute se réus podem fazer parte da linha sucessória da presidência. O julgamento foi interrompido em novembro com um pedido de vista do ministro Dias Toffoli, e a decisão pode inclusive afetar os candidatos nas eleições do Congresso.

Para Jason Vieira, esta quarta-feira será bastante importante para o mercado com eventos decisivos para o humor dos investidores, mas outros fatores precisam ser acompanhados, como as novidades envolvendo as políticas de Donald Trump no exterior, o que tem guiado o mercado no resto do mundo. Além disso, a semana ainda reserva mais emoções, principalmente na sexta-feira com o Relatório de Emprego. O investidor precisa ficar bem atento esta semana.