Perspectivas

Possível corte de rating, desemprego e mais 6 eventos que vão agitar a próxima semana

Confira os principais eventos que vão agitar os mercados na última semana do ano

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Apesar da semana mais curta, os próximos dias terão ainda alguns últimos eventos de 2017 que podem agitar bastante o mercado, com destaque para o risco de um anúncio de corte de rating do Brasil pela agência de risco Standard & Poor’s. No noticiário político, a tensão diminui e as atenções se voltam para os candidatos à presidência nas eleições do próximo ano.

Na segunda-feira (25), por conta do Natal, as bolsas do mundo todo estarão fechadas, mas vale lembrar que o mercado brasileiro também não terá operação na sexta-feira (29), último dia útil do ano. Apesar disso, as bolsas europeias e os índices norte-americanos irão funcionar normalmente nesta data, o que faz o investidor brasileiro se manter atento aos ADRs, mesmo que eles tenham menor liquidez.

O principal ponto de tensão ficará com a S&P, que, segundo fontes da Bloomberg, afirmou aos integrantes do ministério da Fazenda que deve tomar sua decisão sobre o rating soberano brasileiro na próxima semana. Conforme a fonte, a agência disse que não anuncia decisões sobre ratings
soberanos em ano eleitoral, por isso a “pressa”.

Aprenda a investir na bolsa

Entre os indicadores, destaque para os dados de desemprego e os resultados fiscais de novembro. A taxa do desemprego medida pela Pnad Contínua, que será divulgada pelo IBGE na sexta-feira (29) às 9h, e o comportamento dos empregos formais do Ministério do Trabalho deverão vir positivos, segundo a GO Associados. Os analistas estimam que o desemprego caia de 12,2% em outubro, para 11,9%, em novembro, com saldo líquido positivo de 35 mil empregos formais.

Os resultados fiscais do Tesouro e do Banco Central deverão apresentar déficit, conforme estimativas da GO, mas deverá haver uma redução do saldo negativo no acumulado em 12 meses. Há expectativa ainda de que o
governo não tenha dificuldades para cumprir a meta de déficit primário para o ano.

Além disso, ainda sem dia definido, o Ministério do Trabalho deve divulgar os dados do Caged referente ao mês de novembro. A GO Associados estima saldo líquido positivo de 35 mil vagas de emprego formal no mês. Segundo os analistas, o Caged deve mostrar geração líquida de postos de trabalho próximo a zero em 2017, acelerando para cerca de 1 milhão em 2018.

Calendário no exterior
A agenda externa fica mais tranquila na última semana do ano. Após o PIB (Produto Interno Bruto) dos EUA ficar levemente abaixo do esperado, o foco fica para os dados de atividade do Federal Reserve de Richmond e Dallas, além dos números de vendas pendentes de moradias e do PMI de Chicago.

Na China, dia 26 será de divulgação dos números de lucros de empresas, enquanto no fim da semana começam a sair os PMI da indústria e de serviços do gigante asiático. Para conferir a agenda completa de indicadores, clique aqui.