Afastada

Por 55 votos a 22, Senado aprova impeachment e Dilma é afastada da presidência

Presidente tem 20 dias para apresentar sua defesa e Senado tem até 180 dias para concluir processo

SÃO PAULO – Por 55 votos a favor e 22 contra, o plenário do Senado aprovou a continuidade do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff (PT). Ela deve ser notificada ainda nesta manhã e, a partir deste momento, estará afastada do cargo, que é assumido pelo atual vice, Michel Temer.

A partir de agora, o processo voltará à comissão especial do Senado para a fase de instrução, quando começa a contar um prazo para que a presidente apresente sua defesa em até 20 dias. A comissão analisará todos os elementos para o impedimento definitivo. Também serão juntados documentos, provas, mas, para isso, não há prazo definido em lei.

Um novo parecer com as conclusões, com base no que for reunido, será votado na comissão especial e no plenário da Casa, também por maioria simples. Se aprovado mais esse parecer a favor do impeachment, o julgamento final do processo será marcado.

PUBLICIDADE

A sessão, no Senado, será presidida pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski. Nessa última votação, feita apenas no plenário do Senado, é preciso dois terços dos votos para que o impedimento seja aprovado. Ou seja, 54 dos 81 senadores. Se aprovado o impeachment, Dilma estará destituída do cargo e impossibilitada de exercer cargos públicos por 8 anos.