Declarações

Policiais vão processar Lula após insinuação durante depoimento a Moro

A entidade afirmou que, ao ser apresentado a um documento por Moro, o ex-presidente "insinuou" que agentes federais teriam "plantado provas em seu apartamento"

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A Federação Nacional dos Policiais Federais afirmou, por meio de nota, nesta quinta-feira (11), que vai processar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por “denunciação caluniosa” após declarações feitas pelo petista durante seu depoimento ao juiz federal Sergio Moro.

A entidade afirmou que, ao ser apresentado a um documento por Moro, o ex-presidente “insinuou” que agentes federais teriam “plantado provas em seu apartamento”. Luís Boudens, presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais, afirmou que “atribuir a inserção de provas dentro do local de busca é uma afronta à Polícia Federal”.

Lula teria feito a insinuação de prova plantada quando o juiz Sergio Moro o questionou sobre documento sem assinatura que agentes da Polícia Federal apreenderam no apartamento em São Bernardo do Campo onde o ex-presidente mora.

PUBLICIDADE

O endereço foi alvo de buscas na Operação Aletheia, desdobramento da Lava Jato, no dia 4 de março de 2016. Naquele mesmo dia, os federais conduziram coercitivamente o petista para depor em uma sala no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Congonhas.

“Lula foi pego de surpresa pelo documento exibido por Moro. Ele reagiu de pronto, não pode ter uma reação calculada ou ensaiada. Não vamos permitir que essa alegação de Lula gere como efeitos processos administrativos contra os colegas federais ofendidos”, declarou Boudens.

A entidade ainda afirma que “a fala de Lula vai gerar consequências” e que o ex-presidente fez uma “denunciação caluniosa contra a PF”. “Vamos esperar os efeitos do judiciário em resposta ao que Lula alegou. A fala dele exige uma reação, foi uma afronta à PF jamais ocorrida durante toda a Lava Jato”, afirmou Boudens.

(Com Agência Estado)