Patrícia Lelis

Polícia indicia por extorsão jornalista que acusa Feliciano de tentativa de estupro em caso paralelo

A estudante defende que o chefe de gabinete do deputado a obrigou a gravar e publicar dois vídeos em que ela negava as acusações contra o parlamentar

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A Polícia Civil de São Paulo indiciou, na última quinta-feira, a estudante de jornalismo Patrícia Lelis por denunciação caluniosa e extorsão no caso em que ela acusa um assessor do deputado Marco Feliciano (PSC-SP) de sequestro e cárcere privado. O caso corre simultaneamente ao inquérito aberto em que a jovem acusa o parlamentar de tentativa de estupro e agressão.

Responsável pelo caso em São Paulo, o delegado titular da 3ª Delegacia de Polícia, Luís Roberto Hellmeister, disse ao jornal O Estado de S. Paulo que pretende pedir a prisão preventiva de Patrícia ao término do inquérito. A defesa da estudante pediu cinco dias para que se realize um aditamento do depoimento prestado, quando ela disse estar sendo mantida sob coação e ameaça pelo chefe de gabinete de Feliciano, Talma Bauer.

A estudante de jornalismo alega que Bauer a obrigou a gravar e publicar dois vídeos em que ela negava as acusações contra o parlamentar.

PUBLICIDADE