Lava Jato

Polícia Federal realiza operação para apreender 149 joias de mulher de Sérgio Cabral

Casal é acusado de gastar mais de R$ 11 milhões em joalherias como alternativa de lavagem de dinheiro

SÃO PAULO – A PF (Polícia Federal) está realizando na manhã desta sexta-feira (23) uma operação de busca e apreensão das joias do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e de sua mulher e ex-primeira-dama, Adriana Ancelmo. Os agentes estão em dois endereços na Zona Sul do Rio ligados à Cabral e da irmã de sua mulher, em mais uma ação da Lava Jato.

Os agentes policiais estão em busca de 149 joias, de um total de 189, que teriam sido compradas como uma forma de lavar dinheiro oriundo de corrupção e serão utilizadas como provas do crime. Segundo apontam as investigações, o casal gastou mais de R$ 11 milhões em joalherias.

“O dinheiro sujo era oriundo de propinas pagas por empreiteiras entre os anos de 2007 e 2014, em contratos para obras do metrô, reforma do Maracanã, PAC das Favelas e do Arco Metropolitano. O cometimento de crime de lavagem de dinheiro com a compra de joias já foi objeto de duas outras denúncias oferecidas em decorrência das denominadas operações Calicute e Eficiência”, destacou a força-tarefa.

PUBLICIDADE

De acordo com as investigações da PF, Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo comprovam as joias e dois assessores do casal, que funcionavam como operadores financeiros, entregavam o dinheiro correspondente às peças vendidas pela joalheria H.Stern, sem a emissão de notas fiscais.