Polícia Federal desarticula organização que planejava executar agentes públicos

De acordo com a PF, são cumpridos dois mandados, um de prisão preventiva e um de busca e apreensão; na primeira fase da operação, em maio, foram 58 mandados e 23 prisões preventivas

Agência Brasil

Polícia Federal em ação (Foto: Divulgação/Polícia Federal)
Polícia Federal em ação (Foto: Divulgação/Polícia Federal)

Publicidade

A Força Integrada de Combate ao Crime Organizado deflagrou, nesta quarta-feira (10), em Tocantins, a Operação Comminatio Magistratus II, que busca desarticular uma organização criminosa que planejava atentar contra a vida de agentes públicos na região de Dianópolis (TO).

Em nota, a Polícia Federal (PF) informou que, na primeira fase da operação, em maio, foram cumpridos 58 mandados, sendo 35 de busca e apreensão e 23 de prisão preventiva em municípios de Tocantins, Goiás e Maranhão.

Baixe uma lista de 11 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de crescimento para os próximos meses e anos

Continua depois da publicidade

Nesta segunda fase, segundo a PF, são cumpridos dois mandados, um de prisão preventiva e um de busca e apreensão, “em desfavor de um faccionado que continuava monitorando a rotina de um agente do Estado”.

“A investigação criminal, iniciada em 21 de fevereiro de 2024, apurou que a facção possui atuação em todo o território brasileiro e emitiu ordens por meio de correspondências que partiram de unidades penais de Tocantins, para que seus integrantes executassem o plano e cumprisse os objetivos determinados pela liderança”, diz o comunicado da PF.

De acordo com a corporação, o suspeito é investigado pela prática dos crimes de integrar organização criminosa e ameaça.

Continua depois da publicidade

A Força Integrada de Combate ao Crime Organizado em Tocantins é composta pelas polícias Civil, Federal, Militar e Penal.