Rubens Ometto

“Pode criar qualquer regra: enquanto houver governo empresário, haverá corrupção”

Segundo controlador do grupo Cosan, Rubens Ometto, o que deve ser feito é o governo parar de intervir no mercado e estimular a concorrência

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Em evento realizado pelo Itaú BBA na manhã desta quinta-feira (7), o controlador do grupo Cosan (CSAN3), Rubens Ometto, destacou o cenário para o setor em meio à crise econômica. Além disso, ele também falou sobre o intervencionismo estatal que, segundo ele, estimula a corrupção. 

Ometto afirmou que fala-se muito de criar leis, novas regras. Porém, para ele, “para acabar com a corrupção é preciso que o governo deixe de ser empresário. Enquanto o governo intervir no mercado, sempre haverá corrupção. Pode criar a regra que quiser”;

Segundo ele, o que deve ser feito é o governo parar de intervir no mercado e estimular a concorrência. Ometto destacou ainda que, caso a Petrobras baixasse os preços da gasolina, como foi aventado no início da semana, esta seria mais uma medida intervencionista do governo.

PUBLICIDADE

Ometto ainda destacou que os problemas fiscais do governo atrapalham as empresas, destacando “haver um ciclo vicioso em que os juros aumentam, as dívidas das empresas aumentam”.

Ao ser perguntado sobre se defende a volta da CPMF, o empresário afirmou que é preciso dar alguma sinalização sobre o está por vir. Para ele, “a festa foi dada e a conta precisa ser paga”, mas tem que ser trabalhada uma solução para que o cenário de crise fiscal não volte. “O problema é a disciplina dos gastos que vem depois 

Para o empresário, antes de se pensar na volta da CPMF, é preciso saber o que vem depois. “Não podemos criar as condições para pagar a conta e tudo segue igual. Se isso acontecer, vamos ter a CPMF 2, a CPMF 3″, destacou.

Especiais InfoMoney:

Carteira InfoMoney rende 17% no 1º trimestre; 5 novos papéis entraram no portfólio de abril

André Moraes diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa