Senado

PMDB será maioria em comissão do impeachment no Senado; conheça os primeiros nomes

Os blocos de apoio ao governo e de oposição poderão indicar o mesmo número de integrantes, quatro cada um

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Após uma longa reunião entre o presidente do Senado, Renan Calheiros, e os líderes dos partidos ficou decidido como será formada a comissão especial do impeachment, que deve ser votada na segunda-feira (25) e instalada no dia seguinte. Com 18 senadores, o PMDB representa o maior grupo no Senado e indicará cinco senadores.

Já os blocos de apoio ao governo e de oposição poderão indicar o mesmo número de integrantes, quatro cada um. Formado por PSDB, DEM e PV, com 16 membros, a oposição é o segundo maior bloco da Casa. Já o governo tem 14 senadores do PT e PDT.

Os blocos Democracia Progressista (PP, PSD) e Socialismo e Democracia (PSB, PPS, PcdoB e Rede), ambos com dez integrantes cada um, poderão indicar três titulares cada para a comissão. Já o bloco Moderador (PTB, PR, PSC, PRB e PTC), apesar de também ter 10 senadores, só terá duas indicações. Seguindo a mesma proporcionalidade indicada para os titulares, os blocos também apresentarão nomes para a suplência das 21 vagas da comissão. 

PUBLICIDADE

Os senadores Reguffe (DF), Walter Pinheiro (BA) e Delcídio do Amaral (MS) atualmente não têm partido e, por isso, ficarão de fora da comissão especial, mas poderão votar no plenário da Casa.

O líder do DEM, José Agripino (RN), já formalizou em plenário a indicação do bloco de oposição. Os senadores Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), Antônio Anastasia (PSDB-MG), Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) e Ronaldo Caiado (DEM-GO) serão os titulares e os senadores Tasso Jereissati (PSDB-CE), Ricardo Ferraço (PSDB-ES), Paulo Bauer (PSDB-SC) e Davi Alcolumbre (DEM-AP) serão os suplentes.