Segundo Folha

PMDB não descartará de imediato pedido de impeachment de Dilma, diz Cunha

Segundo informações da Folha, o presidente da Câmara teria dito que o Legislativo contratará pareceres jurídicos independentes, equivalentes aos fornecidos pelos tucanos

SÃO PAULO – A crise política pode voltar a ter papel no mercado brasileiro. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PDMB-RJ), disse que não descartará de imediato um pedido de impeachment de Dilma Rousseff após a bancada do PSDB o procurar para tratar do requerimento. As informações são da coluna Painel, da Folha de S. Paulo.  

Segundo ele, o Legislativo contratará pareceres jurídicos independentes, equivalentes aos fornecidos pelos tucanos. Ou seja, o que parecia ter se acalmado no último mês, deve voltar à tona e, como as peças ainda não ficaram prontas rapidamente, Dilma ficaria sob pressão extra até o resultado. 

Para que o pedido siga adiante, é preciso o apoio de pelo menos dois terços dos deputados federais (342 dos 513). Nesse caso, a presidente é afastada e o Senado faz o julgamento do impeachment. 

PUBLICIDADE