PMDB cobra de Lula os cargos no segundo escalão da presidência

Michel Temer se reuniu com o presidente para confirmar apoio em votações caso saiam os nomes para os cargos

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva em conversa com o presidente do PMDB, o deputado Michel Temer, nesta quarta-feira (16), prometeu que tentará atender aos pedidos dos integrantes do partido de tomar posse de cargos no segundo escalão do governo. Em troca ao “favor” do presidente, Temer garantiu que a bancada do PMDB não causará problemas para o governo nas próximas votações.

Dentre as insatisfações do presidente peemedebista, está a demora para a indicação do ex-prefeito do Rio, Luiz Paulo Conde, para a presidência de Furnas, o que é rejeitado pelo governo por conta de Conde não ser um técnico. Outro impasse é a indicação do ex-senador Maguito Vilela para a vice-presidência de agronegócio do Banco do Brasil. Logo após o encontro de Lula com Temer, foi a vez de Maguito conversar com o presidente.

As promessas de Lula ocorrem após ele ter afirmado nesta terça-feira (15) que não está preocupado com a cobrança de cargos em troca de votos. Segundo o presidente, “não existe votação por nomeação de cargos. Quem quiser votar contra, pode votar”. Em contrapartida, Temer afirma que tem “absoluta tranqüilidade de que a integração do PMDB com o governo se completará porque o presidente está cuidando desse assunto”.

Pressionando a decisão

Aprenda a investir na bolsa

O presidente do PMDB afirma não ter dúvidas de que Lula irá atender aos pedidos do partido. Confirmando sua posição em relação ao assunto, Temer indicou para relatar a emenda constitucional que prorroga a CPMF na Comissão de Constituição e Justiça na Câmara o deputado Eduardo Cunha (RJ).

O deputado defende a nomeação de Conde para o cargo em Furnas e prometeu se rebelar caso a indicação de seu co-partidário não ocorra. Se não for aprovada a emenda da CPMF, o governo perderá uma poderosa fonte de arrecadação. Com isso, o PMDB pretende agilizar o governo em relação às nomeações para os cargos.