Plano de Lula para estimular o crescimento deve regular o salário mínimo até 2023

O PAC, que será anunciado dia 22, tem como objetivo reduzir os gastos públicos e alcançar o déficit nominal zero

SÃO PAULO – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve divulgar no dia 22 de janeiro o PAC (Plano de Aceleração de Crescimento). O pacote de medidas tem por objetivo diminuir os gastos públicos e chegar ao déficit nominal zero até o fim deste mandato.

Isso significa conseguir pagar todas as contas públicas, inclusive os juros da dívida. O pacote deve contar com um plano de reajuste do salário mínimo com base no INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) e do PIB (Produto Interno Bruto). Essa medida deve valer até 2023.

Também a correção do teto para o funcionalismo público terá o mesmo prazo. O reajuste será feito a partir do INPC mais o limite de até 1,5% de ganho real. Ambas as medidas devem sofrer resistência no Congresso.

Outras propostas

PUBLICIDADE

O presidente já havia anunciado outros projetos que podem fazer parte do PAC, como o aumento do prazo para o recolhimento de alguns impostos, a criação de um fundo com dinheiro do FGTS para financiar obras de infra-estrutura e isenção de imposto de renda para esses projetos.

Críticas

Antes mesmo do lançamento, o plano já está sofrendo críticas. A revista Economist afirmou que Lula precisa de um trator para destravar a economia e referiu-se ao PAC como uma pequena empilhadeira que “pode remover alguns impedimentos, mas espalhar outros”.