Faca de dois gumes

Planalto tem alívio com adesão menor aos protestos, mas não vê motivos para festejar

Por outro lado, os dados do Datafolha do último final de semana mostram que o descontentamento com o governo ainda é grande

SÃO PAULO – De acordo com informações dos jornais Folha de S. Paulo e do O Globo, o Palácio do Planalto recebeu com alívio a menor adesão aos protestos de domingo em relação aos do mês passado.

Porém, isso não quer dizer que haja motivos para comemoração dentro do governo. O fato das manifestações terem reunido menos gente nas ruas foi um “dado positivo” porque dá tempo para que o governo reaja à agenda negativa.

Por outro lado, os dados do Datafolha do último final de semana mostram que o descontentamento com o governo ainda é grande. “O Datafolha mostra que não há mudança de humor em relação ao governo. O fato de as manifestações estarem menores não é um sinal de que a crise passou”, afirmou um assessor do Planalto ao jornal O Globo.

PUBLICIDADE

Assim, o Datafolha mostra, segundo assessores, que o governo tem que sair da defensiva para não alimentar novas manifestações. 

O vice-presidente Michel Temer (PMDB-SP) ainda destacou que “menos gente nas ruas não significa que os eventos não foram importantes”. “Nós temos que estar muito atentos a estas manifestações. O governo está prestando atenção. Elas revelam, em primeiro lugar, vou dizer o óbvio, uma democracia poderosa. Mas, em segundo lugar, o governo precisa identificar quais são as reivindicações e atender as reivindicações. É isso que o governo está fazendo”, afirmou ontem.

Sobre o Datafolha, que mostrou que 13% consideram o governo ótimo ou bom, mesmo número de março e que 63% apoiam a abertura de impeachment, a equipe presidencial avaliou que não dava para melhorar e se recuperar em tão curto espaços e tempo. 

De acordo com o Datafolha, o impeachment da presidente Dilma conta com o apoio de 77% das 100 mil pessoas (segundo estimativas do instituto) que estiveram neste domingo (12) na Avenida Paulista, mas nem metade deles acham que ela seria afastada. E só 13% dos manifestantes saíram de casa com a intenção de pedir o impeachment da presidente.