Crise política

Planalto desconfia que gravação, considerada “inconsistente”, foi editada e envia áudio para perícia

Áudio também foi considerado inconsistente pelo Planalto, segundo afirmam colunistas

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Considerados inconsistentes, os áudios divulgados da conversa entre Michel Temer e Joesley Batista levaram a um clima de maior tranquilidade ao Planalto, segundo afirma a coluna do Estadão. 

De acordo com a coluna, a ordem é passar a imagem de que o Brasil vai voltar a ter “serenidade” e “retomada de crescimento” em cinco dias. Temer avalia novo pronunciamento nesta sexta nessa linha. 

A coluna Painel, da Folha de S. Paulo, destaca ainda que o Planalto decidiu enviar a gravação a peritos, uma vez que auxiliares de Temer desconfiam que a conversa foi editada.

Aprenda a investir na bolsa

E, caso comprovada a existência de montagem nos áudios, o governo vai reforçar a tese de que Temer foi vítima de uma “conspiração”, como ele próprio disse a aliados inicialmente. O grampo foi feito por Joesley antes de ele e executivos de seu grupo fecharem acordo de delação com a Lava Jato.

Além disso, informa a coluna, palacianos vão, ainda, reforçar o discurso de que o grampo foi ilegal, feito sem autorização da Justiça. E questionarão a decisão a Procuradoria-Geral da República de validá-lo.