Segundo Folha

Planalto culpa Meirelles por erro político que assustou o mercado

Segundo a reportagem, auxiliares do peemedebista disseram que não há clima político para cobrar de deputados tamanha afronta ao funcionalismo público em pleno ano eleitoral

SÃO PAULO – Assessores do presidente em exercício, Michel Temer, acreditam que a equipe do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, errou na forma como negociou o projeto de renegociação da dívida dos Estados, ao insistir no dispositivo que vetava reajustes salariais para servidores públicos nos próximos dois anos. As informações são dos jornalistas Valdo Cruz, Gustavo Uribe e Laís Alegretti para a edição desta quinta-feira do jornal Folha de S. Paulo.

Segundo a reportagem, auxiliares do peemedebista disseram que não há clima político para cobrar de deputados tamanha afronta ao funcionalismo em pleno ano eleitoral. Eles teriam destacado que já haveria dispositivos na Constituição e na Lei de Responsabilidade Fiscal que criam limites para os reajustes. O governo teria se desgastado desnecessariamente e sofrido uma derrota evitável, que acabou dando maus sinais também ao mercado sobre sua capacidade de aprovar medidas econômicas e tirar o País da crise.

A equipe do presidente interino destaca que o principal do projeto — o respeito a um teto de gastos estabelecido — foi aprovado. Para eles, no entanto, o episódio não representa uma perda de prestígio de Meirelles, apesar de acharem que a Fazenda não deveria falar tanto em aumento de impostos.

PUBLICIDADE